26 março, 2007

Contador de Histórias



21 e 22 de Março

José Craveiro, mais conhecido por “Zé do Arménio”, natural da Vila de Tentúgal perto de Montemor-o-Velho, esteve na Biblioteca para nos contar histórias, experiências de vida, situações insólitas, trágicas ou engraçadas.
“Zé do Arménio” é detentor de uma memória invulgar e de um grande poder comunicativo. O seu olhar capta a nossa atenção, a sua voz, o nosso pensamento e os seus gestos levam-nos a participar na narrativa, que ele tão bem sabe exprimir.
Os seus conhecimentos são-nos transmitidos através da oralidade, pois este homem, esta “fonte” inesgotável de sabedoria tradicional ainda não teve tempo de escrever as páginas da sua vida. - “Talvez um dia!…”- costuma dizer.
Cá ficamos à espera.

22 março, 2007

Porquê o Livro? IV

Sugestão de:

Joana Carvalho Silva: Aluna da turma B do 6º Ano e "Amiga da Biblioteca"



Livro: “Milhões” de Frank Cottrell Boyce

O livro que mais gostei de ler chama-se “Milhões”. Este livro conta-nos a história de um menino chamado Daniel (Dany). Daniel é órfão de mãe mas tem um irmão chamado Antony e Robie é o seu pai. Dany, quando estava a ir para a escola, depara-se com um saco de dinheiro que pensa ter caído do céu. Este livro acompanha todas as suas aventuras enquanto está na posse deste dinheiro e quando fala com santos que é a sua única maneira de comunicar com a mãe.
Gostei deste livro porque tem uma história muito interessante que é vivida por muitas crianças, e é por isso um tema real. Este livro, cheio de aventura e mistério, é como se estivéssemos a viver e a sentir o mesmo que o personagem. É um livro que adorei ler e aconselho a sua leitura a todas as pessoas que gostem de ler e que apreciem um bom livro, tal como este.
Joana Silva
-

"Frank Cottrell Boyce é um conhecido guionista de filmes britânico que se inspirou no filme homónimo, de sua autoria, estrando–se assim na literatura infanto–juvenil. É uma verdadeira obra–prima em mais que um sentido, um livro «diferente», que tem vindo a apaixonar adultos e crianças em todo o mundo! É uma história que poderia ter acontecido no nosso tempo, inteligente e de uma sensibilidade invulgar, sendo ao mesmo tempo muitíssimo divertida. Quando após a morte da Mãe, Damian, que é quem conta a história, Anthony, o irmão mais velho, e o desorientado Pai mudam de casa, todos três, à sua maneira, têm de lidar com aquela dolorosa perda afectiva. Damian, um miúdo formidável, é um ser que pertence a dois mundos. A sua paixão são os santos e, em certa medida, tentar ser sempre bom, para ele, é uma forma de se aproximar da Mãe. Anthony, ao contrário do irmão, possui um forte sentido das realidades. Mas mesmo Damian, no seu esforço para se aproximar do Céu, é atingido pela realidade, sob a forma de um saco de dinheiro que ele julga ter caído Lá de Cima. O grande problema deste excepcional acontecimento, para toda a família, é que isto se passa na tansição da moeda nacional para o Euro e aquele dinheiro, qualquer que seja o fim a que o destinem, tem de ser gasto em 17 dias!
Grande vencedor do Carnegie Medal 2004, o mais prestigiado prémio de língua inglesa para a literatura infanto-juvenil."

21 março, 2007

Dia Mundial da Árvore e da Poesia


Árvores
Árvores negras que falais ao meu ouvido,
Folhas que não dormis, cheias de febre,
Que adeus é este adeus que me despede
E este pedido sem fim que o vento perde
E esta voz que implora, implora sempre
Sem que ninguém lhe tenha respondido?

Sophia de Mello Breyner Andresen

20 março, 2007

Actividades da Semana da Leitura

Na semana de 5 a 9 de Março de 2007, decorreu nesta escola a Semana da Leitura, inserida no Plano Nacional de Leitura.
Foram várias as actividades desenvolvidas e apresentadas, quer dentro da sala de aula, quer na Biblioteca e no átrio da escola.
De entre elas destaca-se a apresentação, pelos alunos, na sala de aula, de trabalhos sobre livros lidos, constantes da lista de livros recomendados no PNL, dramatização, na biblioteca, de um excerto da obra analisada nas aulas de Língua Portuguesa, ULISSES, pela turma D do 6º ano, a declamação do poema Trem de ferro, pelos alunos da turma C do 5º ano, e pela ilustração da obra A MENINA DO MAR num painel de 5,40X2, colocado no átrio da escola, pelas turmas de 5º ano acima referidas, com a colaboração dos professores de EVT.
Os alunos reagiram entusiasticamente a estas actividades e esforçaram-se por cumprir os prazos estabelecidos.

11 março, 2007

Feira do Livro



A Feira do Livro é já um evento com tradição na nossa escola. Ano, após ano, mais ou menos na mesma altura, ou seja, durante o segundo período, os alunos têm oportunidade de mexer, sentir, escolher e comprar o livro ou livros de que mais gostam.
Esta actividade, dinamizada pelo Departamento de Língua Portuguesa, é muito bem acolhida por toda a comunidade educativa, especialmente pelos alunos que, infelizmente, têm poucas oportunidades de um contacto tão próximo com o livro.
A edição deste ano, por uma feliz coincidência, realizou-se durante a Semana da Leitura, no ambiente renovado e modernizado do novo espaço da Biblioteca Escolar, o que tornou ainda mais atractiva esta actividade.
Assim, aproveitámos a Feira do Livro para convidar a escritora Jessi Leal, que veio apresentar o seu livro “ Nós, os gatos” aos alunos do 1º CEB da Escola de Vilarinho do Bairro e decorar a nossa escola com frases relativas ao livro e biografias de vários escritores.
Por este ano a feira já terminou. Foi considerada por todos como um sucesso. Até para o ano…

10 março, 2007

Concurso Nacional de Leitura



O Plano Nacional de Leitura em colaboração com as Bibliotecas Municipais da Rede Pública, com o IPLB e com a RTP, promove este ano o Concurso Nacional de Leitura dirigida a todas as escolas do Ensino Secundário e do 3º Ciclo do Ensino Básico.

Concurso na Sala de Aula

A primeira fase do Concurso decorreu nas aulas de Língua Portuguesa com as turmas do 7º e 8º Anos.
Foram lidas as seguintes obras:
7º Ano – “O Cavaleiro da Dinamarca” de Sophia de Mello Breyner Andresen
8º Ano – “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá” de Jorge Amado
Foram apurados vinte e um alunos, que acertaram num maior número de questões da Ficha de Observação de Leitura e que continuarão a desenvolver o Concurso na Biblioteca.

Concurso na Biblioteca da Escola

Os vinte e um alunos apurados nas aulas de Língua Portuguesa terão que ler uma das seguintes obras:

“O Guarda da Praia” de Maria Teresa Maia Gonzalez
“Uma Questão de Cor” de Ana Saldanha
“A Lua de Joana” de Maria Teresa Maia Gonzalez

No dia 22 de Março (4ª feira), pelas 14.30h, realizar-se-á na nossa Biblioteca, a prova final para apurar os três alunos, que irão representar a Escola nas Finais Distritais entre os meses de Abril e Maio de 2007, organizadas por uma Biblioteca Municipal.
O Concurso Nacional de Leitura culminará na realização de uma Final Nacional no mês de Junho, na qual participarão os vencedores das Finais Distritais. Essa Final será transmitida pela RTP.

Os concorrentes podem encontrar as obras seleccionadas na Biblioteca.

Que a boa sorte favoreça todos os participantes, mas que vença o melhor.

02 março, 2007

Porquê o Livro? III

Sugestão de:

Cristina Seiça: Professora de Língua Portuguesa do 3º Ciclo.




"Há muito tempo que os livros são uma das minhas paixões. Desde muito nova que devoro livros. Recordo que, quando adolescente, passava tardes inteiras a ler, ou no meu quarto ou no jardim debaixo de alguma árvore. Eram momentos de felicidade total. De todos os livros que li, há uma lista enorme de livros que me marcaram.
Hoje, vou recordar os primeiros dessa lista de livros inesquecíveis.
Por volta dos nove anos, penso eu, comecei a ler "Os Cinco" da escritora inglesa Enid Blyton. Era uma colecção de 21 livros ( ainda me lembro dos títulos: "Os Cinco na Ilha do Tesouro", "Os Cinco e o Circo", "Os Cinco na Planície Misteriosa", "Os Cinco e a Ciganita", "Os Cinco no Lago Negro", "Os Cinco e a a Torre do Mocho", entre outros...), porém só tive uns treze. Mas li-os todos, pois era uma leitora assídua da Biblioteca Municipal. Aquele mundo fascinava-me. Queria viver aventuras como as personagens, fazer o que elas faziam... O Júlio, o David, a Zé, a Ana e o Tim (o cão) iam acampar sozinhos, para o lago, para a planície, para a ilha, para o castelo... E depois, havia aquelas listas enormes de coisas boas para comer, os seus piqueniques... Dormiam ao relento, viviam aventuras e acabavam por sair ilesos depois de enfrentarem vigaristas, ladrões... Era fantástico. Intrigava-me o facto de eles poderem ir sozinhos! Só em Inglaterra, pensava eu! Em Portugal, isso era impossível! Lembro-me que li "Os Cinco e a Ciganita" e "Os Cinco no Lago Negro" aí uma dez vezes sem exagero! Eram os meus preferidos.

Agradeço à Enid Blyton (1897-1968). Os seus livros foram um incentivo para que o meu gosto pela leitura fosse crescendo." Cristina Seiça
-
Enid Blyton
Consulta na Internet:

Related Posts with Thumbnails