27 fevereiro, 2009

Semana da Leitura | Março 09



Integrada no Plano Nacional de Leitura

Feira do Livro
- 2 a 6 de Março

Biblioleitura - Concurso de Leitura - 3, 10 e 12 de Março
(Língua Portuguesa e Língua Estrangeira: Inglês, Francês e Espanhol)

Saber+
- 6 de Março, das 14h30 às 16h30
(Dinamização: Biblioteca Municipal de Anadia)

Contador de Histórias
- Zé Craveiro: "Uma história e duas canções". 11 de Março

Poesia


Dramatizações


Exposições

Organização: Departamento de Línguas e Biblioteca Escolar Vilarinho do Bairro

26 fevereiro, 2009

Trabalho de Língua Portuguesa

No âmbito das actividades previstas pelo Departamento de Línguas, a professora Carla Rodrigues, de Língua Portuguesa, sugeriu às suas turmas a leitura de obras literárias e posterior apresentação aos restantes colegas.
As alunas Ana Filipa e Mariana do 6ºA leram o livro "Um Saltinho a Paris", de Isabel Zambujal e com ilustrações de João Fazenda, e construíram a maqueta dos principais monumentos desta ilustre cidade francesa. Podem apreciar este trabalho na nossa biblioteca.
Estão de parabéns as nossas alunas pela sua criatividade!

19 fevereiro, 2009

Entrevista à nossa Coordenadora

Entrevista à Coordenadora da Biblioteca Escolar – Noémia Maria Machado Lopes - pelos alunos do 8º B

1- Sabemos que neste ano lectivo não tem nenhuma turma. Porquê?
Tendo começado no ano lectivo de 2007/2008 e dando continuidade este ano lectivo, 433 coordenadores de todas as escolas que se encontram integradas na Rede de Bibliotecas Escolares, foram convidados pelo respectivo gabinete, a coordenar a tempo inteiro uma ou mais bibliotecas do seu agrupamento.

2 - Por que razão assumiu este cargo?
Porque o Gabinete da Rede das Bibliotecas Escolares teve em conta um conjunto de critérios, designadamente: formação e experiência da coordenadora; assento da coordenadora no Conselho Pedagógico; evidências de trabalho em rede: a nível de agrupamento; conjunto dos docentes, na promoção da leitura, literacia da informação, apoio ao currículo, Plano Nacional de Leitura; número de alunos e bibliotecas do agrupamento.

3 - Tem alguma paixão pelos livros
Sim tenho, desde o momento em que aprendi a ler, passei a ser sócia de uma biblioteca itinerante que transportava os livros numa carrinha de caixa fechada e que pertencia à rede das bibliotecas itinerantes Calouste Gulbenkian. Mais tarde, passei também a gostar de ir a livrarias manusear os livros, ver os índices e ler algumas passagens. Se o livro me entusiasmasse, tentava encontrá-lo na biblioteca, onde os livros eram requisitados, não necessitando de os comprar.

4 – Qual a importância que para si têm os livros e a leitura?
Os livros dão-me muito, porque são um mundo de palavras e imagens que me fazem viajar. Os livros são o registo escrito do que existe à minha volta, daquilo do que a minha imaginação é capaz de produzir. O livro, além de ser didáctico, tem o papel de incentivar o uso da criatividade, mais do que nunca, num mundo dominado pela imagem e pela a informação.

5 – Qual é o seu livro favorito? Porquê?
É díficil escolher um livro favorito, prefiro indicar alguns autores preferidos e afirmar que na generalidade, toda a sua obra me atrai: Gabriel Garcia Marquez, Jorge Amado, Luis Sepúlveda, Isabel Allende…. Gosto destes autores, porque são capazes de “retratar” bastante bem o mundo sul americano, pelo qual tenho uma apetência muito especial.

6 – Sabemos que também é coordenadora da biblioteca de Sangalhos. Como é gerir duas bibliotecas.
Não é fácil, a bilblioteca de Sangalhos dista 15Km da escola sede e a nossa biblioteca exige muito trabalho. O ideal era a biblioteca de Sangalhos ter o seu próprio coordenador, para evitar as deslocações.

7 – Quais as dificuldades que tem passado ao longo da sua vida ao gerir as duas bibliotecas?
Só este ano é que passei a coordenar as duas bibliotecas e como já referi a maior dificuldade é a distância e o muito trabalho na biblioteca da escola sede, que me absorve bastante tempo. Porém, vou dando resposta à biblioteca de Sangalhos, promovendo actividades que são comuns às duas bibliotecas.

8. Que papel assume na biblioteca?
Como o nome diz, Coordenadora é sinónimo de “aquela que coordena”. Tudo me passa pelas mãos: gestão do fundo documental, dinamização do plano de actividades, apoio aos alunos, serviço de empréstimo, etc, etc.. Claro que depois tenho que delegar competências nos outros membros da equipa da biblioteca, mas a responsabilidade do bom ou mau trabalho desenvolvido só a mim me cabe, é como quem diz “é ela que dá a cara”.

9. Como é normalmente o seu dia-a-dia na biblioteca?
Dividido pelas tarefas mais urgentes. Se está a ser programada uma actividade, como por exemplo um concurso literário é para aí que canalizo o meu trabalho. Noutros dias dou mais importância ao tratamento do nosso fundo documental, arrumação de livros, reoorganização do serviço de itinerância (Pré-Escolar e 1º Ciclo), apoio aos alunos, ou seja, dar cumprimento ao Plano de Actividades da Biblioteca.

10. Qual foi a actividade que mais gostou de elaborar no ano passado?
Gostei muito de ter organizado, em parceria com as disciplinas de Língua Portuguesa e de EVT, a “Semana da Leitura” e as suas actividades: Feira do Livro, painéis pintados sobre a Obra Literária ”Ulisses”, declamação de poesia, concurso “Biblioleitura”….

11. Que actividades estão planeadas para este ano lectivo?
São as actividades que constam no Plano de Actividades da Biblioteca e outras que possam aparecer pontualmente. Alguns exemplos: comemorações de algumas efemérides, concurso de Banda Desenhada e de expressão plástica, Concurso Nacional de Leitura, Feira do Livro, Semana da Leitura, contador de histórias, concursos temáticos….

12. Como é que os alunos se comportam nesta área?
Se querem saber se os alunos se comportam com educação, posso dizer que na maior parte da vezes, sim, embora por vezes se esqueçam que devem falar mais baixo, não correr na biblioteca, deixar as mochilas à entrada, etc., etc.
Também penso que a biblioteca é uma área onde os alunos se sentem bem, pela diversidade de materias que aqui podem encontrar: livros, revistas jornais, filmes, música….ou ser apenas um espaço de estudo e de convívio.

13. Três regras que têm de existir para haver sucesso na biblioteca?
Gostar de ler, gostar de investigar e apreciar um bom filme.

14. O que é que os alunos mais gostam de fazer na biblioteca?
Gostam de ver filmes, de pesquisar na Internet, de jogar e de conversar.

15. Os alunos em geral têm gosto pela leitura?
Sim, embora não leiam muito no espaço da biblioteca, requisitam muitos livros para leitura domiciliária, o que só prova o seu gosto pela leitura.

16. Se alguma vez uma aluna se sentisse mal na biblioteca o que faria?
Mandava chamar o funcionário do bloco e contactava pelo telefone interno com um elemento do Conselho Executivo.

11 fevereiro, 2009

Biblioleitura - Concurso de Leitura


Oliver Jeffers

2008/09

Este ano, o concurso é aberto às línguas estrangeiras (Espanhol, Francês e Inglês)

EB 1 de Sangalhos - 3 de Março 2009 (Regulamento)
Dinamizadores: Biblioteca e professoras da escola
EB 2,3 de Vilarinho do Bairro - 10 e 12 de Março (Regulamento)
Dinamizadores: Biblioteca e Departamento de Línguas

Objectivos:

- Promover hábitos de leitura;
- Incentivar a leitura;
- Sensibilizar para a leitura expressiva.

Língua Portuguesa - 5º e 6º anos - 10 de Março (3ª Feira, 11h00)
Língua Estrangeira - 7º Ano - Espanhol / 8º Ano - Francês / 9º Ano - Inglês - Dia 12 de Março (5ª feira, 11h00)

Excertos das obras

Português:

2º Ano:

- Lobo "Mau" Xau-Xau - Franclim Pereira Neto
- A Rosinha, o Mar e os Sonhos - Rosário Alçada Araújo
- A Princesa Baixinha - Beatrice Masini
- Anjos de Pijama - Matilde Rosa Araújo

3º Ano:
- A Menina Gotinha de Água - Papiniano Carlos
- Laura e o Coração das Coisas - Lorenzo Silva
- Contos de Ursinhos em 5 minutos - Nicola Baxter
- As Fadas - Antero de Quental

4º Ano:
- A Pequena Sereia - Hans Christian Andersen
- Contos de um Mundo com Esperança - Isabel Alçada e outros
- Poemas da Mentira e da Verdade - Luísa Ducla Soares
- Dez Dedos de Conversa - António Torrado

5º e 6º anos:
- A Árvore - Sophia de Mello Breyner Andresen
- Versos Diversos para Meninos Travessos - Maria Rosa Colaço
- Poetas de Hoje e de Ontem - vários (selec. de Maria de Lourdes Varanda e Maria Manuela Santos)
- Pedro Alecrim - António Mota
- Uma Questão de Cor - Ana Saldanha
- O Romance das Ilhas Encantadas - Jaime Cortesão

Inglês:
- The Black Cat - John Milne (Heinemann)
- The Adventures of Huckleberry Finn - Mark Twain (Penguin Readers)
- Braveheart - Randall Wallace

Francês:
- Un voleur à l’école - Évelyne Reberg

Espanhol:
- Los Sueños – António Alatorre
- Leyendas de Kutná Hora – Vladislav Dudák
- Aburrimiento – Harmonie Botella

--

Alunos Participantes:

2º ciclo
3ª feira, dia 10 de Março, das 11h00 às 13h
LÍNGUA PORTUGUESA

5º A
Cristiana, nº 3
Miguel Santos, nº 15
5º B
Francisca, nº 11
Tatiana, nº 16
5º C
Cátia Almeida, nº 3
Luís Santos, nº 13
6º A
Inês
Sara Costa
6ºB
Joana
Nélia
6ºC
Pedro, nº 15
Francisco, nº 10
6º D
Marta
Patrícia

3º ciclo
5ª feira, dia 12 de Março, das 11h00 às 13h
LÍNGUA ESTRANGEIRA

7º A – Mário Correia, nº 15
7º B – Diogo Ferreira, nº7
7º C – Luís Trajano, nº 10
7º D – Cecília Cadima
8º A – André Rodrigues, nº 4
8º B – Lorredana Pereira, nº 13
8º C – Ivan Briosa
9º A – Ana Cruz, nº 1
9º B – Elisabete Costa, nº 10
9º C – Luís Silva, nº 6

05 fevereiro, 2009

Concurso Nacional de Leitura - Final Distrital

2ª Fase do Concurso Nacional de Leitura - Distrito de Aveiro

A realização da Final Distrital acontecerá na Sala Polivalente da Biblioteca Municipal de Anadia, no dia 23 de Março, pelas 10h30.


(Considerando o número de concorrentes, a prova será apenas escrita e incidirá sobre as duas obras propostas)

Obras tomadas como referência para a final distrital:

3º Ciclo:

1. Amados gatos : pequenas histórias de gatos célebres / José Jorge Letria. - 3ª ed. – Lisboa : Oficina do Livro, 2005.

2. Alma / Manuel Alegre. – 8ª ed. – Lisboa : Publicações Dom Quixote, 2002.

03 fevereiro, 2009

Exposição Júlio Resende

Júlio Resende (Porto, 23 de Outubro de 1917) é um pintor português. Diplomou-se em Pintura em 1945 pela Escola Superior de Belas-Artes do Porto, onde foi discípulo de Dórdio Gomes. Fez a sua primeira aparição pública em 1944 na I Exposição Independente. Em 1948, partiu para Paris, recebendo formação de Duco de la Haix e de Otto Friez. O trabalho produzido em terras gaulesas é exposto em Portugal em 1949 e as propostas a(c)tualizadas que Resende demonstra são acusadas pelos artistas portugueses, definindo a sua vocação de expressionista. Assimilou algum cubismo, vai construir na sua fase alentejana, e mais tarde no Porto, uma pintura caracterizada pela plasticidade e dinâmica, de malhas triangulares ou quadrangulares, aproximando-se de forma progressiva da não figuração. Do geometrismo ao não figurativismo, do gestualismo ao neofigurativo, a sua arte desenvolve-se numa encruzilhada de pesquisas, cuja dominante será sempre expressionista e lírica. Pintor de transição entre o figurativo e o abstra(c)to, Resende distingue-se também como professor , trazendo à escola do Porto um novo espírito aos alunos que a frequentaram na década de 1960.
A obra pictórica de Júlio Resende revela que ele compreendeu a pintura europeia, porque a observou, experimentou e soube transmitir aos pintores e aos alunos que ele formou na Escola Superior de Belas-Artes do Porto. Wikipedia
--
Pesquisa na Internet:

Related Posts with Thumbnails